We’ve updated our Terms of Use to reflect our new entity name and address. You can review the changes here.
We’ve updated our Terms of Use. You can review the changes here.

ANUM PRETO

by anum preto

supported by
kurtrizzo
kurtrizzo thumbnail
kurtrizzo This album became one of my favorites lately. For those who don't understand portuguese: It has a life affirming message, despite what the post-punk sound might suggest. Anum is an artist to watch out for. Favorite track: PERSPECTIVA.
Post-Punk Monk
Post-Punk Monk thumbnail
Post-Punk Monk Anum Preto has widened the scope of the music beyond the traditional Post-Punk sound on the song “Elogio De Tragédia.” The blend of the evasive, complex Brazilian melody line with the Post-Punk foundations of the music may point the way forward to a unique fusion of styles that I both enjoy.

Full review here: postpunkmonk.com/2021/03/01/anum-preto-post-punk-brazilian-style-back-with-self-titled-2nd-album-dl/ Favorite track: ELOGIO DA TRAGÉDIA.
/
  • Digital Album
    Streaming + Download

    Includes unlimited streaming via the free Bandcamp app, plus high-quality download in MP3, FLAC and more.
    Purchasable with gift card

      $4 USD

    You own this

     

1.
PERSPECTIVA 04:02
Se forem quebrados os silêncios Que estão guardados em você Que atormentar sua mente E te impedem de crescer Você alumia as sombras Que medo lhe constrói E analisando os seus sentimentos nus Vai perceber que pode ser Quem você quiser Vai ver o mundo com um novo olhar E deixar o passado para trás No seu devido lugar Viver uma nova realidade Ser uma bela obra de arte Que a Terra te permite ser
2.
Às notícias noturnas do ser comum e metropolitano É a farsa mais terrível Que como uma benção cai sobre os tiranos E então aqui estamos Observando amargamente um passado que se conecta impressionantemente Com o presente Jaz na juventude uma voz De um mundo sem superstições À qual a tragédia segue E a história se repete
3.
Não vou aceitar, não Qualquer tipo de noção de dependência Não vou aceitar, não Qualquer tipo de controle da essência Não vou aceitar, não Um mundo em que há um ser Regulando minha existência Como um tetris humano Eu me encaixo no presente Vou ressignificando Desse modo eu descubro O meu papel, minha razão de ser Pois somos responsáveis Pela nossa identidade de mundo Somos responsáveis O que nos causa um desespero profundo Ninguém pede pra nascer Existe sem garantias É uma chance de viver De ser livre dia-a-dia Mas é normal temer Diante de tanta "liberdade" para ser
4.
2027 03:34
Demos um passo que só Estava escrito nas lendas Desafiamos um mundo Enraizado em crenças Estamos vivendo a transvaloração de valores estamos ligados a todos os computadores Essa viagem não vai ter fim A partir de agora, daqui pra sempre Você não tem controle da sua mente Será que você está pronto para a revolução? Todo o conhecimento do mundo nas suas mãos
5.
Você disse que sofrer É parte inevitável de estar consigo Que nem sempre controlamos o que vai acontecer Mas se viver é sofrer, Sobreviver é tentar encontrar sentido Ou elogiar a beleza na tragédia de ser Eu não vou me preocupar o tempo todo com os mistérios talvez vivenciá-los em sua completidão No alto dos pontos altos da jornada se enxergam os pontos baixos como o todo que eles são É absurdo tentar entender a dor de forma objetiva Pois tolerei o sofrimento sem entender seus estopins Isso orienta minhas ações e meus juízos Pois os momentos felizes são os meios, não os fins Não se pode controlar o que acontece nesse tempo maldito Como se ele fosse um regular tempo de paz Mas pode controlar como se sente Atentando à sua mente Resistindo um pouco mais
6.
Já acorda todo dia de manhã Subordinando sua vida ao seu afã Sua vontade própria se ruiu Tudo o que consome lhe consumiu Não vive mais pra se sustentar Tem vivido só pra trabalhar Mas deixando a vida pra depois Sua mente e seu ego Se partiram em dois E se foi... Só precisa de um momento Pra sair de dentro do apartamento Ganhar uma cicatriz no rosto Conhecer alguém que lhe dê gosto Podia ser como as pedras E assim como as pedras Saber esperar Ou podia ser como os rios Que por sua vez sabem A hora de passar Mas... O seu ópio é ser uma cópia De uma cópia de uma cópia De sua natureza própria
7.
ONDA FRIA 04:16
Eu sonhei que era algum espírito livre Capaz de conviver com a inexistência da verdade E podia dizer alguma forma de desvelar a cegueira auto-anunciada Pois quem enxerga como se fosse simples o mundo Não enxerga nada A onda fria através de um veículo quente Cheio de novas intenções Banalizando todos os valores e convicções Uma ironia implícita num espírito jovem E amargo de viver Que pretende reduzir A moral a pedaços E vai, porque: A única constante é a mudança
8.
RETRATO 05:35
Você não enxerga o seu retrato Não vê o reflexo do seu passado De um processo natural Que te trouxe até aqui Está doente pelo presente Não se sente gente E quantas vezes já se superou? E quantas vezes já se curou? Quando não consegue Olhar pra si Cultiva um receio De existir E que se torna no medo No medo de viver outra vez E que te prende no medo No medo de viver outra vez

credits

released July 9, 2020

CAPA:
Gravura da Comissão Científica de Exploração do Ceará (1859)

LETRAS, ARRANJOS, GRAVAÇÃO E MIXAGEM:
Aerson Moreira "Anum Preto"

© ANUM PRETO 2020
© MIADO ROUCO RECORDS 2020

license

tags

about

anum preto Brazil

Música de vagabundo

contact / help

Contact anum preto

Streaming and
Download help

Redeem code

Report this album or account